Em 2018 o Brasil exportou 1,6 milhão de toneladas de cavaco, serragem e resíduos de madeira. O volume é equivalente a aproximadamente US$ 143,9 milhões. O Japão absorveu 52% do total, principalmente na forma de cavaco para fins energéticos, além de abastecimento de matéria-prima para produção de celulose. As informações foram apresentadas pelo diretor executivo da Associação Catarinense de Empresas Florestais (ACR), Mauro Murara Jr. durante o IV Congresso Internacional de Biomassa, que terminou ontem em Pinhas, região metropolitana de Curitiba.

O diretor executivo da ACR participou de um painel sobre biomassa florestal e apresentou um panorama sobre o estado de Santa Catarina e o potencial florestal do estado. Os dados apresentados por Murara Jr. estão no Anuário Estatístico de Base Florestal para o estado de Santa Catarina 2019. O documento mostra que quanto focamos em pellets de madeira para fins energéticos, Santa Catarina foi responsável por 29% das exportações brasileiras no ano passado. O destino principal do produto catarinense foi a Itália, com quase 100%. No ano passado o Brasil exportou 226,1 mil toneladas de pellets de madeira. O Reino Unido comprou US$ 24,4 milhões e a Itália US$ 12,6 milhões em pellets de madeira do Brasil em 2018.

Na apresentação do diretor executivo também foi evidenciado nível de industrialização do estado de Santa Catarina para produtos de origem florestal. “Santa Catarina tem uma indústria bastante diversificada e não depende apenas de um segmento quando tratamos do setor florestal e madeireiro”, disse ele. Murara Jr. também apresentou dados que comprovam que municípios que tem o setor florestal como base da economia tiveram melhorias significativas na qualidade de vida da população ao longo dos últimos anos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.