No início do mês, o Núcleo de Referência em Tecnologia da Madeira reuniu na sede da associação, em São Paulo (SP), profissionais e representantes da cadeia das indústrias da madeira e da construção de diversos estados do Brasil. “Avançamos como grupo nas discussões. Temos muitos pontos comuns entre os variados elos desta cadeia. Ficou claro que serão necessárias ações para desenvolver um mercado, passando por estabelecer normas técnicas que garantam a confiança nos produtos. Não dá para ser amador”, avaliou o coordenador do Núcleo, o arquiteto Marcelo Aflalo.

Para Aflalo, o propósito do Núcleo foi atingido: difundir conhecimento. “Independente das estratégias das empresas e das instituições o objetivo é o mesmo: acelerar o processo, ampliar o acesso a conteúdos técnicos sobre projetos, construção, floresta e componentes”, afirmou o coordenador.

Durante o evento ficou definida a criação de cinco grupos de trabalho, que devem divulgar um calendário de atividades nos próximos dias: Florestas, Componentes, Educação, Projeto e Construção. Entre os temas que surgiram nos grupos estão questões como a necessidade de discussão da legislação de incêndios, a produção de documentos e publicações técnicas que possam ser usadas como materiais de apoio na formação profissional e a legalidade da matéria-prima.

Na avaliação do engenheiro civil, especialista em estruturas de madeira, Guilherme Stamato, o evento superou as expectativas. “O encontro reuniu um público variado e de fora do setor da madeira. Foi positivo termos um espaço amplo para o debate tanto para os produtores de floresta tropical quanto plantada”, afirmou.

O evento reuniu profissionais de grande importância para o setor e também trouxe pessoas de fora da cadeia da madeira. “A participação dos representantes do IPT foi bastante significativa, pois é uma instituição envolvida nos ensaios de sistemas construtivos como wood frame, CLT”, disse Stamato.

O Núcleo
O Núcleo da Madeira foi lançado no ano passado e tem como meta reunir representantes deste segmento para divulgar e demonstrar a viabilidade do uso intenso e sustentável da madeira na construção, além de dar suporte ao próprio setor. Para isso, a instituição – que não tem fins lucrativos – deseja conectar todos os pontos desta cadeia, desde empresas de base florestal, indústria madeireira, construtoras, e outras empresas relacionadas, para reunir e mediar informações.

Com informações de: Assessoria de Imprensa do Núcleo da Madeira/Interact Comunicação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.