A Associação Catarinense de Empresas Florestais (ACR) está disponibilizando aos produtores de pinus doses de nematóides para combate à Vespa-da-Madeira. A Sirex noctilio (nome científico da vespa) é uma praga exótica que chegou ao Brasil acidentalmente durante a década de 1980. Ela ataca exclusivamente plantios de pinus, depositando ovos nos troncos que, ao se transformarem em larvas, comprometem o desenvolvimento das árvores. Em Santa Catarina, mais de 540 mil hectares abrigam plantações deste tipo de árvore. O estado é o segundo maior produtor de pinus do Brasil, atrás apenas do Paraná.

Para evitar a proliferação da praga, a Associação Catarinense de Empresas Florestais (ACR) está intensificando as ações de combate. Fazem parte da estratégia: reuniões técnicas e campanhas informativas.

A Vespa-da-Madeira ataca principalmente plantios sem manejo, causando o apodrecimento da árvore. Copa amarelada e respingos de resina no tronco são indícios de infestação. Ao verificar qualquer sinal que indique a presença da vespa, o produtor deve comunicar a CIDASC ou Epagri mais próxima.

Doses de nematóides
O controle biológico da Vespa-da-Madeira é feito através de nematóides (Deladenus siricidicola). A solução em gel com nematoides, que é inoculada nas árvores infestadas, vem se mostrando muito eficiente. A ACR está recebendo pedidos de empresas associadas e não associadas para doses da solução. Através do Fundo Nacional de Controle da Vespa-da-Madeira (Funcema) as três associações florestais da região sul (APRE, AGEFLOR e ACR), conseguem subsidiar os nematóides com a Embrapa Florestas.

Produtores não associados devem entrar em contato com a CIDASC e solicitar uma vistoria técnica para receberem as doses sem custos. Associados a sindicatos madeireiros também têm preços diferenciados para aquisição dos nematóides.

As empresas associadas à ACR devem fazer os pedidos diretamente através da secretaria da associação, com Bruno Ferreira. As solicitações podem ser feitas através do email: bruno@acr.org.br, ou pelos telefones: (49) 3251-7306 e (49) 9 9156-0675.

“Profissionais que atuam no corte, desbaste, transporte e nas serrarias, devem ser instruídos para detectar e relatar sinais de infestação”, lembra o diretor executivo da ACR, Mauro Murara Jr. Os principais indícios são: presença de insetos adultos, galerias larvais e pequenos orifícios no tronco das árvores de pinus. “Quanto mais cedo o problema for identificado, maior o tempo para combatê-lo e maior será o nosso êxito”, conclui Murara Jr.

Recentemente o nematoide Deladenus siricidicola obteve registro junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). O agente de controle biológico agora tem nome comercial: Nematec. O processo de registro levou seis anos e passou por diversas fases de análise, inclusive com registro de marca e identidade junto ao Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.