A preservação de mata nativa em áreas localizadas dentro dos Corredores Ecológicos de Timbó e Chapecó, tem sido compensadora para 249 proprietários rurais. O projeto de Pagamento por Serviços Ambientais (PSA) já pagou R$ 500 mil, desde 2015, pela conservação de mais de 1,5 mil hectares de florestas de araucárias. O programa é realizado pela Fundação do Meio Ambiente (Fatma), em parceria com a Epagri e a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Sustentável (SDS), por meio do programa SC Rural. O pagamento pela preservação varia de R$ 87,50 a R$ 350 por hectare/ano, dependendo da qualidade ambiental da área.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.