O IBGE divulgou no fim do ano passado um levantamento sobre os valores relacionados a extração vegetal e silvicultura em 2014. De acordo com o relatório as cifras somadas atingiram os R$ 20,8 bilhões. A produção da silvicultura (obtida em florestas plantadas) contribuiu com 77,7% (R$ 16,1 bilhões), enquanto a extração vegetal (coleta ou apanha de produtos em matas e florestas nativas) participou com 22,3% (R$ 4,6 bilhões).
Na silvicultura, o valor de produção dos produtos madeireiros chegou a R$ 15,9 bilhões e o dos não madeireiros, a R$ 216 milhões. Já na extração vegetal, o valor de produção dos produtos madeireiros totalizou R$ 3,2 bilhões e a de não madeireiros somou R$ 1,4 bilhão, com destaque para o grupo de produtos alimentícios.
As informações completas estão no documento PEVS 2014 (Produção da Extração Vegetal e Silvicultura) disponível no site do instituto. A pesquisa mostra, também que, de um total de 146,5 milhões de m³ de madeira em tora, 90,6% originaram-se da silvicultura (florestas plantadas) e apenas 9,4% do extrativismo vegetal.

Região Sul é destaque

A PEVS 2014 traz ainda dados inéditos sobre as áreas ocupadas pelo plantio de eucalipto, pinus e outras espécies, que em 2014, somavam 9,4 milhões de hectares, sendo 3,8 milhões na região Sul. Santa Catarina é o quarto estado em área ocupada para silvicultura no Brasil (aproximadamente 1 milhão de hectares). Minas Gerais é o primeiro da lista (1,7 milhão de hectares), logo depois vêm Paraná (1,6 milhão de hectares) e Rio Grande do Sul (1,1 milhão de hectares).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.