Há mais de duas décadas, a Sociedade Brasileira de Recuperação de Áreas Degradadas – SOBRADE, dedica-se ao assunto no Brasil. A pauta da vez é a discussão sobre duas espécies florestais que ocorrem no bioma Mata Atlântica: araucária e erva-mate. Começou no dia 19 e vai até 22 de julho o Seminário Sustentabilidade da Araucária e Erva-mate.

São abordados temas relativos ao cultivo e manejo, uso racional, potencialidades de utilização, legislação e a problemática ambiental. O engenheiro florestal e diretor executivo da ACR, Mauro Murara Jr, participou do primeiro dia do seminário e falou sobre entraves jurídicos na realização de plantio e aproveitamento de araucária. “Acredito que o momento é oportuno para termos esta conversa. O setor produtivo tem convicção de que o plantio comercial de araucária, aliado a um manejo adequado, é uma forma viável para a preservação da espécie. Entendemos que a restrição absoluta desestimula os proprietários de possibilitar o desenvolvimento de novas árvores”, alerta o engenheiro florestal.

Segundo Murara Jr, a resolução que estabelece a lista de espécies em risco de extinção em Santa Catarina deve entrar em fase de revisão, junto à Câmara Técnica de Atividades Agroflorestais. “É importante que a universidade participe dessa discussão. A Fundação Universidade Regional de Blumenau – FURB, está desenvolvendo uma nova edição do levantamento florístico de Santa Catarina e tem muita informação atualizada”, conta o diretor executivo da ACR. “Entre as associadas da ACR são cerca de mil hectares de área plantada com araucária. São reflorestamentos antigos que não puderam ser explorados por mudanças na legislação. O reflorestamento é uma lavoura de árvores. Engenheiros Florestais e professores da Universidade de Freiburg, na Alemanha, que é uma das mais conceituadas no mundo com relação a estudos com madeira, são categóricos ao dizer que a araucária é a árvore perfeita em termos de comprimento de fibras, resistência e outras propriedades físico-mecânicas. Já temos alguns estudos com melhoramento genético da espécie. Faltam estímulos legais para a implantação de plantios comerciais de araucária”, conclui Murara Jr.

O Seminário Sustentabilidade da Araucária e Erva-mate ocorre nas modalidades online e presencial. A parte online vai até 22 de julho. A parte presencial será em Xanxerê/SC, em data a ser confirmada. Inscrições e mais informações podem ser encontradas no site da Sobrade: www.sobrade.com.br.  

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.