Um levantamento feito pela Diretoria de Tecnologia e Informação do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina apontou para o risco de incêndios florestais. O estudo levou em consideração todos os números levantados pelos 14 batalhões do estado, entre os dias 21 e 28 de julho. Ao todo, foram registradas 206 ocorrências. A incidência maior, concentrando 25% das ocorrências registradas nesta semana, foram nas áreas do 6° e do 14° Batalhões, nas regiões de Chapecó e Xanxerê, respectivamente. Neste ano, os números já chegam a 1006 casos registrados.
De acordo com a corporação, o aumento nos casos de incêndios florestais e em vegetação se devem a uma soma de fatores climáticos e de ação humana. Destacam-se a baixa umidade relativa do ar, com um período de estiagem em todo estado. Outro fator agravante foi a onda de frio que chegou em Santa Catarina no início de julho. “Este tipo de incêndio é dependente de dois fatores: de combustíveis secos e de umidade baixa, com as fortes geadas, grande parte da vegetação morreu, principalmente as gramíneas que estão extremamente secas nesse momento devido ao longo período sem chuvas. Esses fatores aumentam o risco de incêndios florestais e deixam sua propagação muito rápida, dificultando as ações dos Bombeiros. ” explica o Major Walter Parizotto, Comandante do 14° Batalhão.

Para evitar incêndios em vegetação, o Corpo de Bombeiros Militar orienta a população para:
Evitar queimadas, seja para plantio ou queimadas de lixo, em áreas próximas de vegetação ou terrenos;
Não jogar cigarro em terrenos limítrofes de rodovias;
Não acender fogueiras;
Prestar atenção em ligações elétricas mal feitas, em áreas de vegetação;
Em caso de ocorrências de fogo em vegetação, acionar o Corpo de Bombeiros Militar por meio do telefone 193.

Com informações do Corpo de Bombeiros Militar de SC

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.