Na quinta-feira da semana que vem, dia 23 de setembro, ocorrerá o workshop online “A modernização da silvicultura: tecnologia do futuro sendo aplicada agora”. A organização é da Associação Catarinense de Empresas Florestais e está com uma rica programação.

Os conteúdos serão divididos em dois períodos: manhã (9h às 12h10), com o painel de “Atividades no solo”; e tarde (14h às 16h55), com “Planejamento e controle”.

Dentro da programação haverá apresentações de soluções e equipamentos florestais. Entre os fabricantes está a associada John Deere.

Conversamos com Rodrigo Barbosa, gerente de Marketing de Produto da John Deere para o Brasil e América Latina, que nos passou alguns detalhes:

Qual o propósito da John Deere para o segmento de base florestal?

Conduzimos negócios essenciais à vida. Trabalhando pelas pessoas que confiam em nós e pelo planeta que nos sustenta, criamos máquinas conectadas e inteligentes que fazem a vida avançar. Os clientes da John Deere estão no centro de tudo o que fazemos e por isso desde os anos 1990, com a criação da John Deere Equipamento do Brasil, estabelecemos estrutura local focada no segmento florestal brasileiro, comercializando as máquinas florestais ainda sob a marca Timberjack, a qual anos mais tarde se transformou definitivamente John Deere.

Quais as soluções que a JD oferece para este segmento e o que pretende destacar no WS?

A John Deere conta com mais de 180 anos de experiência e dados de precisão para conhecer os clientes e seus negócios. Ao longo destes anos trabalhamos com e para os nossos clientes, fortalecendo cada vez mais o nosso relacionamento e parceria. Nesta jornada da John Deere Florestal, em ser incansável e estar alinhada com o propósito maior em fazer a vida avançar, a companhia busca contribuir de forma efetiva com a sociedade.
A empresa oferece portfólio completo para a colheita em qualquer tipo de floresta, seja em CTL ou Full Tree. Estamos no setor há muitos anos e somos a única empresa com portfólio completo para colher qualquer condição de floresta plantada, com qualquer tamanho de árvore ou tipo de relevo. Mundialmente somos líderes na produção de equipamentos florestais.
Queremos destacar que ao pensarmos nos nossos clientes e suas operações sabemos que cada minuto e recurso importam. Desta forma, a tomada de decisão deve ser rápida e assertiva. Por isso, ter máquinas com alta tecnologia e conectadas é fundamental para capitalizar as oportunidades no sistema produtivo. A companhia disponibiliza acesso contínuo a peças, serviços e atualizações de desempenho, desde o transporte até a compra, fornecendo suporte de classe mundial durante todo o ciclo de vida de seus equipamentos, com produtividade e sustentabilidade sempre em mente.
Hoje é possível obter as informações da máquina, do ciclo produtivo e do gerenciamento de madeira em tempo real, ajudando os clientes a se tornarem mais eficientes, diminuindo as perdas de material e melhorando a logística no campo. Além disso, máquinas mais inteligentes e com uso de ferramentas robustas, como o Service Advisor Remote, permitem ao cliente ter acesso a dados de qualidade, reduzindo as etapas de verificação de controle na floresta, bem como na melhoria do diagnóstico e da redução de riscos no campo, otimizando os custos de operação e aumentando a disponibilidade das máquinas.

Como a JD enxerga o setor de base florestal em Santa Catarina?

A John Deere Florestal vê Santa Catarina como um estado chave no setor florestal, bem como para a estratégia da companhia no segmento, não somente como maior estado produtor e exportador de madeira serrada do Brasil e o quinto maior estado com base florestal plantada, mas também como um estado de grande relevância da atividade florestal para a economia brasileira. Acreditamos ser um mercado muito promissor, devido à forte identidade florestal do estado e, também, por parte das empresas deste setor.

As inscrições já estão abertas em:http://acr.org.br/cursos.

Profissionais de empresas associadas à ACR e outras associações de base florestal têm desconto na inscrição. As vagas são limitadas. Mais informações com Bruno Ferreira, pelo email: bruno@acr.org.br ou WhatsApp: (49) 9156-0675.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *